Apocalipse 4: Louvor Àquele que Se Assenta no Trono

A palavra θρονος (trono) aparece 14 vezes em Apocalipse 4. É de longe o capítulo onde a palavra mais aparece no livro. João tivera uma visão de Jesus (Ap 1.9-20), o qual enviou a por meio de seu anjo e de João mensagens para as igrejas da Ásia Menor.

Trono em Apocalipse

As igrejas estavam enfrentando realidades diferentes, de perseguição religiosa à letargia espiritual (teológica e moral). As mensagens às igrejas revelaram suas qualidades e defeitos, bem como advertências e promessas de acordo com atitudes futuras. É depois disso que João é “abduzido” em espírito para o céu e tem a visão do trono e daquele que se assenta no trono.

A imagem é aterrorizante, revelando a majestade, a transcendência e a santidade do Deus todo-poderoso que se assenta no trono. Assim como viram Isaías (6.1-13), Ezequiel (1.26-28), Micaías (1 Reis 22.19-23) e Estevão (Atos 7.55-56), João viu o trono de Deus em momento de angústia e incertezas. O Rei continua assentado no trono!

O centro do relato está na pessoa que assenta no trono, o Senhor Deus. Todos os demais personagens nesta visão São coadjuvantes: os vinte e quatro anciãos que também se assentam em tronos; o Espírito Santo de Deus em forma de sete tochas de fogo e seres viventes muito parecidos com os querubins vistos pelo profeta Ezequiel (1.1-25; 10.9-17). Evidentemente João também está presente, em espírito, no céu, vendo todas essas coisas!

A atitude de todos os personagens da visão é uma de adoração e louvor àquele que se assenta no trono. Os querubins, à semelhança dos serafins de Isaías 6 proclamam: “Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir”. Deus é chamado de παντοκράτωρ (pantokrátor, o Todo-Poderoso, o Onipotente). Ele é adorado também por sua atemporalidade, ele é aquele que era, que é e que há de vir.

Palavras_Ap4

Outras palavra revelam-se importantes no relato por sua repetição. A palavra ὅμοία (6x, omóia, semelhante) aponta para o caráter simbólico e representativo dessa visão. João não consegue reconhecer várias das coisas que está vendo e por isso encontra as referentes mais próximas a fim de explicar sua visão. As palavras τέσσαρας (5x, téssara, criaturas) e ζῷα (7x, zôa, vivas) apontam para a importância que as criaturas vivas semelhantes às de Ezequiel recebem nessa passagem.

Nada no relato ou no resto do livro do Apocalipse nos aponta claramente a identidade dos vinte e quatro anciãos. O número, sendo o dobro de 12, tem sido usado por alguns intérpretes como chave interpretativa para afirmar que esses vinte e quatro anciãos são os doze filhos de Jacó e os apóstolos de Jesus. Parece mais provável que são seres angelicais mesmo. Estes, com todo o poder a autoridade que detém, também aparecem no relato para adorar a Deus: eles se prostram, adoram, oferecem suas coroas e proclamam: “Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas” (Ap 4.10-11). Os seres viventes reconhecem a glória, a honra e o poder do ‘Senhor e Deus nosso’ por Ele ser o criador soberano.

Não podemos apenas explicar essa visão e extrair os ensinos dela sobre os atributos de Deus e o dever de adorá-lo, mas devemos contemplar a visão de João por meio do texto e nos deixar impactar pela grandeza da revelação teocêntrica recebida pelo discípulo amado. Há um trono estabelecido no céu onde se assenta o Deus Soberano, Transcendente, Santo, Eterno, Todo-Poderoso e Criador. Mesmo quando não parece, tudo está debaixo do controle desse Ser Divino Poderosíssimo. Ele é o Senhor sobre toda a Terra. Ele é o Senhor sobre tudo e todos. Os seres mais poderosos do universo lhe rendem louvor e glória. Ele é o Senhor Deus. Aleluia! Ele é o Rei Soberano! Aleluia! Ele é Aquele que era, é e virá! Aleluia! Ele é o Criador! Aleluia!

 

 

Dica Exegética Uncategorized

João Paulo Thomaz de Aquino Visualizar tudo →

Mestre em Antigo Testamento pelo Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper (CPAJ, 2007), mestre em Novo Testamento pelo Calvin Theological Seminary (2009) e doutor em ministério pelo CPAJ (2015), doutorando em Novo Testamento pela Trinity International University. É professor de Novo Testamento no CPAJ e ministro da Igreja Presbiteriana do Brasil. É também editor dos websites http://www.issoegrego.com.br e http://yvaga.wordpress.com.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: