Palavra de Sabedoria x Palavra de Conhecimento: 1 Coríntios 12.8

Um bom amigo me perguntou:

“Estou trabalhando com 1 Coríntios 12.8 “palavra de sabedoria e palavra de conhecimento” o uso de ‘dorew ‘ e ‘sofia’ no NT é em duas direções? Uma como produto da inteligência humana (natural) e outra resultado da ação do Espírito Santo que concede o dom? Ou trata-se de habilidade e não de dom do Espírito?”

Vamos lá:

Na NA28, o texto grego aparece assim: “ᾧ μὲν γὰρ διὰ τοῦ πνεύματος δίδοται λόγος σοφίας, ἄλλῳ δὲ λόγος γνώσεως κατὰ τὸ αὐτὸ πνεῦμα”. Tradução literal: “para um, por um lado, por meio do Espírito, é dada palavra de sabedoria, para outro, por outro lado, palavra de conhecimento de acordo com o mesmo Espírito”.

No dicionário BDAG, padrão nos estudos da língua grega, sofia é traduzido como: (1) a capacidade de entender e funcionar de acordo; sabedoria natural ou sabedoria transcendental; (2) Sabedoria personificada, Sabedoria (p. 934s). Gnosis, por outro lado, aparece como: (1) compreensão ou alcance intelectual de alguma coisa, conhecimento; (2) o conteúdo daquilo que é sabido, conhecimento, o que é conhecido; (3) uma variedade dissidente de conhecimento (p. 203s).

Os coríntios eram extremamente afeitos à sabedoria e ao conhecimento mundanos. No começo da carta Paulo reprova os coríntios por isso e diz que ele preferiu abrir mão da sabedoria de palavra em prol da cruz de Cristo (1Co 1.17). Paulo também cita Isaías 29.14, onde Deus diz: “Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos instruído” (1Co 1.19). No versículo seguinte Paulo diz que Deus tornou louca a sabedoria desse mundo (1Co 1.20) e o apóstolo continua falando coisas semelhantes. Já em 1Co 1.14, o apóstolo afirma que Cristo é a sabedoria de Deus (veja 1Co 1.30, também). Quanto ao conhecimento, Paulo afirma: “O saber [conhecimento, gnosis] ensoberbece, mas o amor edifica” (1Co 8.1). No versículo seguinte: “Se alguém julga saber alguma coisa, com efeito, não aprendeu ainda como convém saber” (1Co 8.2).

Em suma, os coríntios adoravam sabedoria e conhecimento mundanos. Alguns tinham até mesmo um conhecimento teológico maior, mais usavam isso para escandalizar irmãos mais fracos. A sabedoria tem um caráter mais prático, aplicado e o conhecimento tem um caráter mais teórico. Para ambos existe uma versão “mundana” e uma versão espiritual, divina. A versão “mundana” ou natural, não é necessariamente má, mas depende do que o possuidor dessa sabedoria ou conhecimento faz com eles. E, infelizmente, a versão espiritual pode ser usada para o mal, caso o cristão esteja longe do Senhor e caia em tentação.

No caso de 1 Coríntios 12.8, Paulo está afirmando aos coríntios e a nós o fato de que Deus, por meio do seu Espírito, é quem dá palavra de sabedoria (conhecimento prático) e palavra de conhecimento (saber teórico). É ele quem dá capacidade aos seus filhos de falar coisas adequadas para a edificação do corpo de Cristo, sejam práticas, sejam teóricas. Assim, eu diria que o dom denominado palavra de sabedoria é a capacidade espiritual de falar, em público ou em particular, com a ajuda do Espírito, coisas práticas que ajudarão pessoas, baseado na Palavra de Deus, ou seja, aconselhamento bíblico nas mais diversas áreas da vida. Já o dom da palavra do conhecimento, eu definiria como a capacidade espiritual de explicar, em público ou em particular, com a ajuda do Espírito, coisas teóricas relacionadas à Palavra de Deus.

 

 

 

 

Dica Exegética

João Paulo Thomaz de Aquino Visualizar tudo →

Mestre em Antigo Testamento pelo Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper (CPAJ, 2007), mestre em Novo Testamento pelo Calvin Theological Seminary (2009) e doutor em ministério pelo CPAJ (2015), doutorando em Novo Testamento pela Trinity International University. É professor de Novo Testamento no CPAJ e ministro da Igreja Presbiteriana do Brasil. É também editor dos websites http://www.issoegrego.com.br e http://yvaga.wordpress.com.

4 comentários Deixe um comentário

  1. Boa noite!
    Meu nome é Lucas e considero necessário deixar um comentário positivo sobre a exposição dos Itens propostos a luz do Grego.
    Me sinto esclarecido e norteado sobre o assunto uma vez que a explicação dos mesmo ao meu ver são consistentes ao vê- Los junto ao contexto.
    Quero encorajar o autor de tal exposição a continuar este trabalho tão edificante para os que se interessam em saber.
    Que o Senhor te abençoe e continue lançando luz ao seu entendimento meu irmão!

    Grato!

Deixe uma resposta para João Paulo Thomaz de Aquino Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: