Anúncios

Ele Será Chamado Nazareno (Mateus 2.23)

Esse post aborda uma questão relacionada ao uso do Antigo Testamento pelo Novo Testamento. Mateus 2.23, falando sobre Jesus, diz: “E foi habitar numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito por intermédio dos profetas: Ele será chamado Nazareno.” O problema é que nenhum profeta diz exatamente essas palavras citadas por Mateus! É claro que essa situação estranha gera dúvidas e precisa de uma explicação satisfatória.

Há três explicações mais comuns para esse uso do Antigo Testamento. A primeira é que o autor está baseado em Isaías 11.1: “Do tronco de Jessé sairá um rebento e das suas raízes, um renovo.”[1] A palavra hebraica para rebento é netser (נֵ֫צֶר), cujo som e escrita são semelhantes a palavra hebraica para Nazaré (נָצְרַת, natsarat). Como Isaías 11.1 é um texto messiânico, essa proposta se tornou uma das mais fortes com relação a Mateus 2.23. O problema, por outro lado, é que a passagem de Isaías não tem nenhuma referência ao lugar Nazaré, o que é o foco de Mateus 2.23. Outros textos proféticos que contém esse mesmo sentido são Jr 23.5; 33.15; Zc 3.8; 6.12.

A segunda explicação é que o texto está falando “Ele será chamado Nazareno” não somente no sentido de que ele terá sua proveniência da cidade de Nazaré, mas também no sentido de que ele será alguém humilhado e desprezado, mesmo sentido em que vemos em João 1:43, quando Natanael questiona: “De Nazaré pode sair alguma coisa boa?” Assim, o que Mateus estaria dizendo é que ele veio de Nazaré, confirmando as profecias de que ele seria alguém simples, desprezado e humilhado. Quais profecias do Antigo Testamento apontam para isso? Provavelmente o melhor candidato é Isaías 53. Veja, por exemplo, o versículo 2: “Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse”.[2] Embora renovo também apareça neste versículo, a palavra não é a mesma de Isaías 11.1. Outros textos que profetizam um Messias humilde são Salmo 22.6-13 e 69.8 e diversos textos em Zacarias 9—14.

A última proposta mais comum para entender a profecia de Mateus 2.23, é relacionar a palavra Nazaré com o voto de Nazireu (נָזִיר), descrito em Números 6. A palavra significa consagrado, devoto. Em Juízes 13 lemos a história de Sansão, sobre o qual é dito: “o menino será nazireu consagrado a Deus, desde o ventre materno até ao dia de sua morte” (Jz 13.7).[3] É possível, então, que Mateus estivesse se referindo a Jesus não como um nazireu no sentido estrito, mas como alguém consagrado a Deus, um antítipo aperfeiçoado de Sansão.

Qual destas é a melhor solução?

Normalmente, quando Mateus cita um profeta ele faz a introdução no singular: “para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta” (Mateus 1.22) ou “Então se cumpriu o que fora dito pelo profeta Jeremias” (Mateus 2.17).[4] Mateus 2.23 é o único texto que o autor introduz com o plural “profetas”: “Assim cumpriu-se o que fora dito pelos profetas”. O resultado disso é que é possível que o autor esteja se referindo a todas as possibilidades acima e outras que ainda não conseguimos enxergar, ou não entendemos.

Essa seria a minha posição, de que Mateus está se referindo a um ensino geral que pode ser encontrado nos profetas, de que o Messias seria o renovo de Davi, alguém com uma origem humilde e seria consagrado ao Senhor desde o seu nascimento, parte dessas profecias se cumpriu no fato de ele passar um período de sua infância na cidade de Nazaré e por isso ser um nazareno.

 

Leia mais (com links para os livros)

Beale, G. K., and D. A. Carson. Commentary on the New Testament Use of the Old Testament. Grand Rapids: Baker Academic, 2007.

Osborne, Grant R.. Matthew. Grand Rapids: Zondervan, 2010, p. 101-102

Turner, David L. Matthew. Grand Rapids: Baker Academic, 2008.

France, R. T. The Gospel of Matthew. Grand Rapids: William B. Eerdmans Pub, 2007, 91-95.

Washington Roberto Nascimento, http://slideplayer.com.br/slide/47486.

 

________________________________________

[1] Isaías 11.1  וְיָצָ֥א חֹ֖טֶר מִגֵּ֣זַע יִשָׁ֑י וְנֵ֖צֶר מִשָּׁרָשָׁ֥יו יִפְרֶֽה׃

[2] Isaías 53.2   וַיַּ֨עַל כַּיּוֹנֵ֜ק לְפָנָ֗יו וְכַשֹּׁ֨רֶשׁ֙ מֵאֶ֣רֶץ צִיָּ֔ה לֹא־תֹ֥אַר לוֹ֖ וְלֹ֣א הָדָ֑ר וְנִרְאֵ֥הוּ וְלֹֽא־מַרְאֶ֖ה וְנֶחְמְדֵֽהוּ׃

[3] Judges 13.7 כִּֽי־נְזִ֤יר אֱלֹהִים֙ יִהְיֶ֣ה הַנַּ֔עַר מִן־הַבֶּ֖טֶן עַד־י֥וֹם מוֹתֹֽו

[4] Veja lista de ocorrências de profeta e profetas em https://www.biblegateway.com/quicksearch/?qs_version=NVI-PT&quicksearch=profeta&begin=47&end=47.

Uncategorized

Anúncios

João Paulo Thomaz de Aquino Visualizar tudo →

Mestre em Antigo Testamento pelo Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper (CPAJ, 2007), mestre em Novo Testamento pelo Calvin Theological Seminary (2009) e doutor em ministério pelo CPAJ (2015), doutorando em Novo Testamento pela Trinity International University. É professor de Novo Testamento no CPAJ e ministro da Igreja Presbiteriana do Brasil. É também editor dos websites http://www.issoegrego.com.br e http://yvaga.wordpress.com.

1 comentário Deixe um comentário

  1. Boa tarde
    Muito importante a explicação deste texto, pois, de fato, o que observamos é que na maioria dos casos, pelo menos aonde já vi alguém falando, explicando sobre esta passagem, aborda somente um dos pontos mostrados nesta explanação. Ficou mais claro, que, seja provável isto mesmo, uma referência a todas estas possibilidades e outras mais que não tenhamos enxergado ainda. Deus abençoe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: