Como fazer uma tradução literal?

Image

            O presente texto é apenas uma introdução bastante despretensiosa a respeito deste assunto. O principal objetivo desse texto é informar aos meus alunos o que eu pretendo que eles apresentem como tradução literal do texto.

Há cada vez mais versões bíblicas e elas são cada vez mais diferentes entre si. Em meio a tudo isso é possível e justo que alguém pergunte: mas o que o texto está realmente dizendo, ou seja, o que está escrito no “original”. Esta resposta não é tão óbvia, visto que a resposta depende de quem pergunta. Imagine, por exemplo, a dificuldade em traduzir o ditado popular brasileiro “focinho de porco não é tomada” para um esquimó que não conhece porco nem tomada!? Assim, a qualidade e adequabilidade tradução depende do propósito da mesma: é para ser lida por quem e em que ocasião?

Note estas diferentes versões de Tiago 1.2-4:

Young (tradução) ACF ARC CNBB ARA
2 Toda alegria, considerem isso, meus irmãos, quando vós puderdes cair em tentações variadas; 3 sabendo que a prova de vossa fé resultará em perseverança, 4 e deixem a perseverança ter trabalho perfeito, de forma que vós possais ser perfeitos e inteiros – em nada faltando. 2 Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; 3 Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. 4 Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.   1.2   Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações, 3 sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência. 4 Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma. 2 Considerai uma grande alegria, meus irmãos, quando tiverdes de passar por diversas provações, 3 pois sabeis que a prova da fé produz em vós a constância. 4 Ora, a constância eve levar a uma obra perfeita: que vos torneis perfeitos e íntegros, sem falta ou deficiência alguma.   1.2   Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, 3 sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. 4Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes.
AVE Maria NVI NTLH Bíblia Viva A Mensagem
2 Considerai que é suma alegria, meus irmãos, quando passais por diversas provações, 3 sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência. 4 Mas é preciso que a paciência efetue a sua obra, a fim de serdes perfeitos e íntegros, sem fraqueza alguma. 2 Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, 3 pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. 4 E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.   1.2   Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições. 3 Pois vocês sabem que, quando a sua fé vence essas provações, ela produz perseverança. 4 Que essa perseverança seja perfeita a fim de que vocês sejam maduros e corretos, não falhando em nada! 2 Queridos irmãos, a vida de vocês está cheia de dificuldades e de tentações? Então, sintam-se felizes 3 porque quando o caminho é áspero, a perseverança de vocês tem uma oportunidade de crescer. 4 Portanto, deixem-na crescer, e não procurem desviar-se dos seus problemas. Porque quando a perseverança de vocês estiver afinal plenamente crescida, vocês estarão preparados para qualquer coisa, e serão fortes de caráter, íntegros e perfeitos. Amigos, quando lutas e aflições os atingirem em cheio, saibam que isso é um presente especial. Vocês verão como a fé será fortalecida e terão forças para continuar até o fim. Por isso, não desistam facilmente. Essa perseverança os ajudará a amadurecer e a desenvolver plenamente o caráter de vocês. (Tiago 1:2,3,4)

A diferença entre essas versões é o método de tradução empregado. A primeira tradução é uma [tradução da] tradução literal feita por Robert Young. As duas últimas, Bíblia Viva e A Mensagem, são versões que aplicam a teoria de tradução de equivalência dinâmica de forma bastante radical. A NVI (Nova Versão Internacional) e a NTLH (Nova Tradução na Linguagem de Hoje) também aplicam teorias de equivalência dinâmica, mas utilizam-se também de alguns cânones da equivalência formal.

Na verdade, todas versões bíblicas comerciais feitas para uso litúrgico fazem um misto entre as equivalências formal e dinâmica. Na tradução formal, o tradutor tenta verter palavra por palavra do texto para a língua-alvo, tentando, sempre que possível, manter a forma da língua-fonte: número de palavras, ordem das palavras, pesos e medidas, figuras e ilustrações, uso de transliteração, gênero literário. Esse processo é feito obedecendo as regras gramaticais e uso comum da língua-alvo. Na equivalência dinâmica, o tradutor tenta traduzir as ideias da língua fonte de forma que as mesmas sejam compreendidas naturalmente na língua-alvo.

Na tradução literal que queremos, a tradutor vai verter o texto da língua-fonte para a língua-alvo sem preocupação com a naturalidade do texto nesta última. É uma tradução de formal que dará ao leitor a oportunidade de “ler o texto original na sua própria língua”. A preocupação neste caso será em transmitir com precisão as palavras e construções gramaticais do texto original para a língua vernácula.

A tradução literal deve ser feita de acordo com as seguintes regras:

  • Mantenha a ordem das palavras da língua grega, a não ser quando for impossível de compreender o texto no português.
  • Traduza o significado do verbo e a ideia dos tempos e modos verbais corretamente, ainda que seja necessário utilizar várias palavras para traduzir um só verbo.
  • Traduza o significado das palavras gregas e a ideia dos casos nominais corretamente, mesmo se for necessário utilizar mais palavras no português.
  • Traduza corretamente o significado das construções gramaticais gregas (cláusulas), ou seja, faça escolhas sintáticas e torne claro o significado de tais construções.
  • Apresente notas de rodapé justificando as tuas escolhas gramaticais e sintáticas onde for conveniente.

Voltemos ao texto de Tiago:

Texto Grego UBS 4ª ed. 2 Πᾶσαν χαρὰν ἡγήσασθε, ἀδελφοί μου, ὅταν πειρασμοῖς περιπέσητε ποικίλοις, 3 γινώσκοντες ὅτι τὸ δοκίμιον ὑμῶν τῆς πίστεως κατεργάζεται ὑπομονήν. 4 ἡ δὲ ὑπομονὴ ἔργον τέλειον ἐχέτω, ἵνα ἦτε τέλειοι καὶ ὁλόκληροι ἐν μηδενὶ λειπόμενοι.
Minha Tradução Literal Toda alegria considerai,[1] irmão meus, quando provações cairdes em várias[2], sabendo que o teste vosso da fé[3] está produzindo[4] perseverança. E que a perseverança trabalho completo esteja tendo[5], a fim de que estejais sendo maduros e completos – em nada faltantes.

A tradução literal não é apropriada para uso litúrgico e dificulta a compreensão de quem não tem conhecimento da língua-fonte. A sua vantagem está no fato de apresentar os detalhes do texto grego na língua-alvo. Esse tipo de tradução é fundamental para a exegese e, evidentemente, também para a pregação, pois ela explicita as ênfases e os detalhes daquilo que o autor quis transmitir aos seus leitores originais.

Então, qual tradução é melhor: a literal, a formal ou a dinâmica? Depende do uso e de quem vai ler. Devemos entender que diferentes traduções têm diferentes funções e, assim, usar cada uma de acordo com o seu propósito. Ademais, devemos nos conscientizar que toda tradução envolve interpretação e que não há tradução perfeita.


[1] O verbo ἡγέομαι é um imperativo aoristo e por isso deve ser traduzido como um imperativo pontual. Se fosse um imperativo presente, deveria ser traduzido como uma ordem contínua: estai considerando.

[2] Aqui mantivemos a ordem das palavras gregas, apesar de não ser a ordem natural da língua portuguesa. Note que o autor bíblico está enfatizando a palavra πειρασμοῖς (tentações ou provações).

[3] Note que teste vosso da fé e teste da vossa fé são conceitos um pouco diferentes. Tiago está falando do primeiro caso.

[4] O tempo presente deve ser traduzido como uma ação linear e não pontual.

[5] Imperativo Presente

Uncategorized

João Paulo Thomaz de Aquino Visualizar tudo →

Mestre em Antigo Testamento pelo Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper (CPAJ, 2007), mestre em Novo Testamento pelo Calvin Theological Seminary (2009) e doutor em ministério pelo CPAJ (2015), doutorando em Novo Testamento pela Trinity International University. É professor de Novo Testamento no CPAJ e ministro da Igreja Presbiteriana do Brasil. É também editor dos websites http://www.issoegrego.com.br e http://yvaga.wordpress.com.

13 comentários Deixe um comentário

  1. Meu caro sou o Rev. Zilmar Clezio Hotti fornamado no JMC atualemtne mestre em teologia exegetica e em ciencias da religião e doutoranod em filosofia e leciono grego no SPBC- Ji-Paraná. Alegro-me pela iniciativa do irmão e espero tb utilisar o material deixado aqui pelo irmão se o irmão não se importar, visto que a nivel de bacharelado o material introdutório pode ser utilisado creio eu. Obrigado, na Paz de Deus e nosso Senhor Jesus Cristo.

  2. Boa noite, ótima postagem! Gostaria de saber se você poderia me ajudar com uma tradução. gostaria de saber a tradução do português para do grego da seguinte frase: ‘O que protege’ ou ‘Aquele que protege’ ou ‘Protetor’. É o significado do meu nome e gostaria de saber a tradução dele. Obrigado pela ajuda e fico no aguardo da resposta! Um feliz natal e ótimas festas para você! Fique com Deus, e que ele ilumine a ti e todos que o rodeiam! Um grande abraço!

    • Grego moderno (segundo google): προστάτης
      Grego Koinê: τηρέωv (Jo 17.11); ἐπίτροπος (Gl 4.2). Outras palavras cujo campo semântico se sobrepõem: οἰκονόμος (Gl 4.2), παιδαγωγό (Gl 3.25).

      Bênçãos,

  3. Que excelente material. Acompanho semanalmente seu blog. Levando em consideração esse seu comentário sobre o imperativo aoristo, podemos então chegar a conclusão que essa passagem se deu em um determinado tempo não se aplicando a nós? De fato realmente o cair em tentação foi algo que aconteceu literalmente naquele contexto?. No caso da passagem do IDE e pregai o evangelho, discipulando,sabendo que ali o verbo IDE está no tempo aoristo porém muitos acham que estão no imperativo presente.

    Abraços

  4. Ótimo material Reverendo. Meu nome é Marcos. Sou da IPC (Igreja Presbiteriana Conservadora), pastoreio aqui em Pernambuco, na cidade de Caruaru, onde leciono para os irmãos congregacionais. Gostaria de obter autorização para usar a apostila do irmão sobre exegese, “o que é e como fazer”. Fiquei muito animado com o conteúdo e com a nota de rodapé, na respectiva apostila, em que se faz menção dos revs. Sebastião Arruda e João Alves. Grandes mestres e homens de Deus que foram lembrados e honrados pelo irmão. Fraternal Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: